sábado, 27 de setembro de 2014

Posted by Mulheres na ciência on 20:39 1 comment





Hedy Lamarr nasceu em 1914 em  Viena, Austria. Atriz de cinema e inventora austríaca.

Filha de um banqueiro e de uma pianista nasceu com o nome de Hedwig Eva Maria Kiesler. Recebeu uma sólida formação e desde criança se destacou por sua beleza e inteligência brilhante; Aos 16 anos iniciou seus estudos em engenharia, porém poucos anos depois os abandonou para ingressar a Escola de Arte dramática de Berlim. Estreou no teatro e logo se dedicou ao cinema. Trabalhou como atriz na Europa, até que fez o filme Ecstasy, em 1933, no qual apareceu nua em um lago, e depois do escândalo para época, se viu forçada a deixar de filmar.

Ela se casou aso 19 anos, por vontade de seus pais, com o fabricante de armas austríaco Friedrich Mandl (1900-1977), quem comprou todas as copias da película Ecstasy para destruir. Marido dominante e membro do partido nazista, a deixava trancada em sua casa e só saia junto com ele para assistir a reuniões sociais, com homens de Hitler e Mussolini. Nessas reuniões se falava em detalhes sobre a guerra, sobre tudo das armas, o que Hedy Lamarr aproveitou para copiar toda a informação; Enquanto isso, na solidão da sua casa, seguiu seus estudos em engenharia.

Depois de 4 anos de casamento, valente e decidida, escapou de seu marido, indo a Paris, Londres e finalmente a Hollywood, Estados Unidos; Sob a proteção de Louis Mayer dos estúdios MGM, recomeçou sua carreira de atriz de cinema, com um novo nome: Hedy Lamarr. Esteve debaixo das ordens dos diretores mais renomados da época e compartilhou elencos com os principais atores de Hollywood.

Em 1940 ela conheceu o músico e compositor George Antheil (1900-1959) em uma festa de Hollywood em 1940. George Antheil era compositor e escrevia na Esquire artigos sobre endocrinologia aplicada a sedução. Eles se encontram em um jantar. Hedy pergunta se poderia fazer algo para aumentar o tamanho de seus seios. Anedotas a parte, o encontro foi magnético.

Antheil era um musico que experimentava o controle autômato dos instrumentos musicais, como pode ser observado em Ballet Mécanique, uma mistura sonora de pianos, martelos e hélices de avião que provocaram um escândalo. Ele, através de um sistema de rádio controle foi capaz de fazer funcionar 8 pianos de vez.

Entre as festas para captar fundos para guerra e os filmes, Hedy e George idealizaram um sistema no qual os torpedos acionados igualmente por rádio controle, não dependiam de uma única frequência, mas sim saltavam continuamente entre 88 frequências, as quais faziam praticamente impossíveis de serem interceptadas pelos alemães. O invento foi patenteado por ambos em 1942. Contudo a Armada considerava excessivamente complicado de implementar e, as vezes o denegria dizendo que não passava de um mecanismo de piano. O invento, ficou na gaveta de patentes, esquecido.

Fragmento da patente de Hedy e George
Quinze anos depois, a eletrônica havia sofrido um grande avanço tecnológico graças ao desenvolvimento dos transistores, o que permitiu que a armada americana se interessasse pelo invento de Lamarr e Antheil, já que facilitava enormemente o seu funcionamento. Em 1957 foi utilizado em uma bóia radio controlada e em 1962 foi utilizada na crise dos misseis de Cuba, mas para fornecer informações de forma segura ter as embarcações que participavam do bloqueio naval. A partir dali, este sistema foi utilizado amplamente na guia de misseis, no desenvolvimento da tecnologia GPS e inclusive no funcionamento dos celulares, aparelhos wifi e bluethooth. Ambos não receberam nenhum dinheiro pela invenção a patente havia expirado.

Hedy Lamarr, paralelamente a tudo isto, se converteu em uma pessoa taciturna, que acabou abandonando sua carreira em 1958, depois de uma série de fracassos pessoais e profissionais. Obcecada com a beleza que estava indo embora, submeteu-se a cirurgias plásticas e terminou como uma caricatura do havia chegado a ser. Apesar disso, ela continuou inventando, como um comprimido que dissolvido em água proporcionava um refrigerante de cola e uma coleira de cachorro com propriedades fluorescentes.

A Eletronic Frontier Foundation deu um prêmio de pioneiro para Lamarr e, a titulo póstumo, George Antheil em uma cerimônia realizada em San Francisco em 1997. Mas ela não foi receber o prêmio devido a aparência, por isso o filho foi representa-la. Nesse mesmo ano, Lamarr e Antheil receberam o Bulbie Gnass Spirit of Achievement Award, assim como una distinção honorária concedida pelo projeto Milstar.

Um ano mais tarde, Hedy recebeu em Viena a medalha Viktor Kaplan, outorgada pela Associação Austríaca de Inventores e Titulares de Patentes.

Ela morreu na Flórida, nos EUA, em 2000. Suas cinzas foram espalhadas nos bosques de Viena, lugar onde nasceu.



Traduzido do Mujeres que Hacen la História e do El País Archivo




1 comentários: