sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Posted by Mulheres na ciência on 08:40 No comments


Ela nasceu em 1750 em Hannover, Alemanha. Matemática e astrônoma autodidata. Mudou-se para Inglaterra aos 22 anos como ajudante de seu irmão William Herschel, o qual trabalhava para o rei Jorge III da Inglaterra.

William – astrônomo famoso que descobriu em 1781 o planeta Urano – forneceu informações científicas a Carolina, e ela, como sua assistente, realizou os cálculos matemáticos e observações astronômicas.

Em 1786 Carolina teve um pequeno observatório próprio e se dedicou a busca de cometas e nebulosas: foi a primeira mulher a descobrir um cometa, que foi conhecido como “o primeiro cometa feminino”. Detectou 8 cometas no total.

Foi a primeira astrônoma profissional da corte e o rei Jorge III lhe outorgou um salário anual como ajudante de seu irmão, o que lhe permitiu independência econômica. Realizou um índice dos trabalhos do astrônomo real Johan Flamsteed (1646-1719), e preparou os 8 volumes do livro de seu irmão.

Quando seu irmão morreu, Carolina voltou a Hannover em 1822, continuando com suas observações; publicou o “Catálogo de 1500 Nebulosas descobertas pelos Herschel”, pelo qual recebeu uma medalha de ouro da Sociedade Astrônomica Royal; Anos mais tarde, essa sociedade a nomeu Membro Honorário junto a Mary Somerville, sendo as primeiras mulheres a receber este titulo. Em 1846 o rei Federico Guillermo IV da Prussia, outorgou-lhe a medalha de ouro de ciências.

Ela trabalhou durante 50 anos a sombra de seu irmão mais velho, William, e ela deixou escrito, com humildade, que foi treinada para ser assistente, não astrônoma.

Carolina Herschel morreu em Hannover em 1848, aos 97 anos, e, por suas observações, foi gravada como a mulher que mais contribuiu com o avanço da astronomia.


Traduzido do Mujeres que Hacen la Historia
Categories: ,

0 comentários:

Postar um comentário