sábado, 23 de fevereiro de 2013

Posted by Mulheres na ciência on 12:02 No comments


Cientista uruguaia, nascida em 1958, integrante da equipe que elaborou o mapa do genoma humano no ano 2000.



Estudou na Faculdade de Humanidades e Ciências obtendo sua licenciatura em oceanografia biológica em 1983. Trabalhou no Instituto de Investigações Biológicas Clemente Estable, e foi docente da Faculdade de Medicina. 


Viajou para os Estados Unidos em 1988, aonde trabalhou em diferentes laboratórios e desde 1993 está no National Human Genome Institute, em Washington.

Amalia é doutora em biologia citogenética, é diretora do Serviço Central de Citogenética e Microscopia do National Human. Este instituto utiliza ferramentas de citogentica molecular para localizar genes e sequencias de ADN nos cromossomos. A doutora colaborou para o conhecimento da função que atende cada gene e analisa a informação que surge da decodificação do genoma. O maior beneficio desta informação que surge da decodificação do genoma é que se poderá diagnosticar mais precocemente e de forma mais precisa as enfermidades genéticas e informar ao paciente de possíveis riscos de enfermidades hereditárias e assim melhorar os tratamentos para a cura.

Suas investigações levarão cerca de dez anos, e o projeto Genoma Humano desenvolvido pelo National Human Genome Institute, tem como objetivo disponibilizar para a comunidade cientifica as suas descobertas.

Existe outra empresa privada que também estuda o mapa do gema, a qual trabalha com métodos parecidos, porém com filosofias diferentes. A doutora Amalia Dutra declara que o genoma humano deve ser estudado para beneficio de todos e não para o lucro de poucos.


Categories: ,

0 comentários:

Postar um comentário