sábado, 23 de fevereiro de 2013

Posted by Mulheres na ciência on 12:22 No comments



Nascida em Shangai em 1912. Física chinesa, cientista e especialista em radioatividade.

Seus pais, professores de idéias progressistas sobre a educação das mulheres incentivaram a sua filha a estudar em um colégio interno de Suzhou, no qual se graduou como professora, sendo a primeira da classe.



Em 1930 Chien ingressou na Universidade Central de Nanjing, na qual envolveu-se ativamente do movimento estudantil. Depois de sua graduação de Física em 1934, foi docente em uma Universidade de província, enquanto continuou sua investigação em Cristalografia de raios X na Academia de Ciências de Shangai.

Em 1936 partiu para o Estados Unidos para continuar os seus estudos; Em breve integrou a equipe de investigação do Laboratório de Radiação da Universidade da California. Nesta universidade doutorou-se em 1940.

Na universidade de Princeton, Nova Jersey, foi a primeira mulher docente de Física. Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1944 trabalhou como física nuclear, junto com eminentes cientistas, no projeto Manhattan, investigando a separação dos isótopos (átomos) de urânio, que são radioativos. A partir de 1946 foi Cientista Associada na Universidade dee Columbia, Nova York e, anos depois, Professora Associada nessa Universidade.

Chien continuou sua minuciosa investigação sobre a desintegração dos átomos; Até esse momento, os experimentos científicos de outros cientistas somente haviam podido encontrar elétrons de baixo movimento. Com grande empenho e capacidade profissional, ela comprovou que os elétrons se moviam a uma grande velocidade, atravessando laminas de espessura uniforme. Suas evidencias empíricas trouxeram-lhe grande prestigio, destacando-se a exatidão dos detalhes fornecidos. Escreveu um livro sobre sua investigação: A desintegração beta, publicado em 1965.

Em 1958 foi promovida a Professora Titular de Física na Universidade de Columbia. Com suas investigações aplicou a medicina seu trabalho em física nuclear: mediante a novas técnicas, desenvolveu um método para estudar as mudanças moleculares da hemoglobina associada a anemia das células.

Em 1972 Chien Shiung Wu foi Catedrática de Física da Universidade de Columbia, combinando a docencia com a investigação até a sua jubilação em 1981. Durante 37 anos consecutivos esteve trabalhando como uma destacada cientista, lutando contra os preconceitos de gênero, que minimizou a importância das conquistas das mulheres dedicadas a ciência.

Por sua contribuição a ciência, Chien recebeu numerosos prêmios e Doutorados Honoris Causa, entre eles, os da Universidade de Yale, Harvard e Princeton, sendo este ultimo, o primeiro premio concedido a uma mulher. Foi membro da Academia de Ciências da China e Estados Unidos e a primeira mulher presidente da Sociedade Americana de Física em 1975. Recebeu a Medalha Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

Um asteróide desde 1990 leva o seu nome em sua homenagem. Em seu país natal é muito reconhecida por suas conquistas cientificas, e por ser a primeira mulher chinesa do século XX considerada líder cientifica: é chamada de “Madame Curie da China”, “Primeira Dama de Física” o “Madame Wu”.

Chien Shiung Wu morreu em 1997, aos 84 anos de idade, em sua casa em Manhattan, Nova York.

Traduzido do Mujeres que Hacen la Historia

Categories:

0 comentários:

Postar um comentário